Jogos Olímpicos

Imagem de um Atleta Paralímpico e o Logo de Tóquio 2020.

A emoção continua

De 24/8 a 5/9 o canal SporTV2 estará com o sinal aberto para você torcer e se emocionar com nossos atletas paralímpicos. Saiba onde acompanhar ao vivo as Paralimpíadas Tóquio 2020.

Saiba mais

No SporTV você acompanha ao vivo os Jogos Paralímpicos Tóquio 2020

Saiba onde assistir e torcer para os atletas brasileiros.

Imagem de uma atleta paralímpico e o logo de Tóquio 2020.

Programação liberada de 24/08 a 05/09

Aproveite o sinal aberto do SporTV2 (canais 38 SD | 538 HD) para conhecer o canal e torcer pelos nossos atletas nos Jogos Paralímpicos Tóquio 2020.
 
Clientes Claro tv, Claro pré e Claro box tv podem assistir também no site do NOW e no app.

Saiba mais sobre a história dos Jogos Paralímpicos

Popularização

O esporte para atletas com deficiência popularizou-se após o fim da Segunda Guerra Mundial. Na verdade, como um esforço de introduzir civis e veteranos de guerra, com os mais variados graus e tipos de lesões, ao esporte. As performances desde então foram evoluindo até atingirem o alto rendimento.

Jogos de Stoke Mandeville

Em 29 de julho de 1948, dia no qual foi celebrado o início dos Jogos Olímpicos de Londres, o Dr. Ludwig Guttman realizou a primeira competição para atletas em cadeiras de rodas, os chamados Jogos de Stoke Mandeville. Ele que em meados de 1944 havia sido incumbido pelo governo britânico de administrar um centro de lesões na coluna vertebral no hospital que mais tarde daria nome aos Jogos de Stoke Mandeville.

400 atletas de 23 países em Roma

Logo os Jogos de Stoke Mandeville deram lugar aos Jogos Paralímpicos. A primeira edição oficial aconteceu em 1960, em Roma, na Itália. Participaram, na ocasião, 400 atletas de 23 países. E desde essa primeira edição, os Jogos Paralímpicos acontecem a cada quatro anos.

Coexistência

A palavra "Paralímpico" deriva da preposição grega “para”, que significa ao lado, e da palavra “Olímpico”. Simbolizando que os Jogos Paralímpicos devem coexistir com os Jogos Olímpicos.
 

Os Jogos Olímpicos de Tóquio chegaram ao fim, confira como foi essa edição

Confira o quadro de medalhas e desempenho dos atletas brasileiros, história, mascotes e curiosidades.

Confira como ficou o quadro de medalhas do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Delegação brasileira bateu o recorde de medalhas olímpicas.

Tabela Brasil
Medalha Ouro Medalha Prata Medalha Bronze Todas as Medalhas
Icone AtletismoAtletismo 0 0 2 2
Icone BoxeBoxe 1 1 1 3
Icone “Canoagem velocidadeCanoagem velocidade 1 0 0 1
Icone “FutebolFutebol 1 0 0 1
Icone SurfGinástica artística 1 1 0 2
Icone JudoJudô 0 0 2 2
Icone “Maratona aquáticaMaratona aquática 1 0 0 1
Icone NataçãoNatação 0 0 2 2
Icone SkateSkate 0 3 0 3
Icone SurfSurfe 1 0 0 1
Icone TênisTênis 0 0 1 1
Icone VelaVela 1 0 0 1
Icone “VôleiVôlei 0 1 0 1
Logo Brasil12º Brasil 7 6 8 21

Medalhistas brasileiros em Tóquio

Conheça os atletas que conquistaram medalhas nesta edição dos Jogos Olímpicos.

Ana Marcela Cunha | Ouro

A baiana Ana Marcela Cunha, 29 anos, sagrou-se campeã da prova da maratona aquática no Odaiba Marine Park, em Tóquio, com o tempo de 1h59min30s08. Atleta olímpica desde 2008, esta conquista foi muito aguardada por Ana Marcela que já contava com 11 medalhas em Campeonatos Mundiais de Esportes Aquáticos.
 

Ítalo Ferreira | Ouro

O craque do surfe foi o primeiro medalhista de ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Ítalo derrotou o japonês Kanoa Igarashi e garantiu a quinta medalha para o Brasil nesta edição do evento. Nada mal, já que o atleta carregava a expectativa de ser o atual campeão mundial de surfe e tinha Gabriel Medina como um dos desafiantes. 
Imagem da Seleção Masculina de Futebol.

Seleção Masculina de Futebol | Ouro

Depois de um longo período sem conquistar o ouro, agora o futebol brasileiro é bicampeão olímpico. Após a medalha de ouro na Rio 2016, desta vez, o Brasil derrotou a Espanha, por dois a um. Na prorrogação, o atacante Malcom definiu a partida, mesmo vindo do banco de reservas. 
Imagem do Medalhista Hebert Conceição.

Hebert Conceição | Ouro

O ucraniano Oleksandr Khyzniak caiu no terceiro round após dois bons primeiros assaltos diante do brasileiro Hebert Conceição. Com o nocaute, o baiano subiu no lugar mais alto do pódio na categoria até 75 kg do boxe masculino. O baiano soma esta conquista a uma medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de 2019, em Lima, e um bronze no Campeonato Mundial do mesmo ano. 
Imagem das Medalhistas Martine Grael e Kahena Kunze.

Martine Grael e Kahena Kunze | Ouro

O Brasil foi ouro na vela, classe 49erFX, com Martine Grael e Kahena Kunze. Para subir ao lugar mais alto do pódio, elas precisaram garantir um terceiro lugar na última regata disputada. A dupla é bicampeã olímpica, uma vez que já havia vencido essa classe nos Jogos Olímpicos Rio-2016. 
Imagem do Medalhista Isaquias Queiroz.

Isaquias Queiroz | Ouro

É ouro! Isaquias Queiroz é ouro para o Brasil na prova do C1 1000m da canoagem velocidade. O tempo final do vencedor foi de 4m04s408. O baiano de 27 anos escreveu, então, mais um capítulo inédito de sua história. Depois de conquistar três medalhas na Rio-2016 (duas pratas e um bronze), agora ele também é ouro! 

Rebeca Andrade | Prata e Ouro

A sétima medalha para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Rebeca Andrade, 22 anos, encantou com sua performance de “Baile de Favela” no solo e levou a medalha de prata no individual geral. Vale lembrar que é a primeira medalha brasileira na ginástica artística em Jogos Olímpicos. Mas não acabou aí, Rebeca também levou o ouro no salto, fazendo história para o Brasil. 
 

Pedro Barros | Prata

Mais um show do Brasil no Centro de Esportes Urbanos de Ariake! Desta vez, Pedro Barros foi responsável pela 3ª medalha brasileira no skate. O catarinense de 26 anos saiu com a prata no skate park, ficando somente atrás do australiano Keegan Palmer. Antes, Rayssa Leal e Kelvin Hoefler já haviam obtido a mesma prata na modalidade street.
 
Imagem da Seleção Feminina de Vôlei.

Seleção Feminina Vôlei | Prata

O Brasil acabou não sendo páreo para os Estados Unidos na grande final do vôlei feminino dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. As norte-americanas, por sua vez, celebraram o primeiro ouro de sua história. Nossa seleção acabou com a prata de forma inédita. Anteriormente, o Brasil foi ouro em Pequim 08 e Londres 12.

Kevin Hoefler | Prata

Aos 28 anos o paulista Kelvin Hoefler foi o primeiro brasileiro a ganhar uma medalha nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, logo na estreia da modalidade em Jogos Olímpicos. Ele ficou com a prata no Skate Street, somente atrás do japonês Yuto Horigome. Com a conquista, ele entra crava o nome na história do skate mundial. 

Rayssa Leal | Prata

A “Fadinha” foi uma das sensações dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. A menina prodígio faturou a prata no Skate Street com apenas 13 anos de idade e marcou seu nome como a mais jovem atleta medalhista pelo Brasil em Jogos Olímpicos. Somente a japonesa Momiji Nishiya ficou à frente de Rayssa.

Imagem da Medalhista Beatriz Ferreira.

Beatriz Ferreira | Prata

Beatriz Ferreira representou bem demais as cores do Brasil diante da irlandesa Kellie Harrington, mas não foi capaz de derrotar a rival na final da categoria até 60kg do boxe feminino nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O revés veio por decisão unânime dos juízes. 

Daniel Cargnin | Bronze

Daniel Cargnin, 23 anos, foi o responsável pela primeira medalha dos brasileiros no judô nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O gaúcho teve uma campanha muito boa, inclusive tendo derrotado o italiano Manuel Lombardo, número um do ranking mundial, nas quartas de final.

Fernando Scheffer - Bronze

Fernando Scheffer foi bronze nos 200m livre com um tempo de 1m44s66. O gaúcho ficou atrás dos britânicos Tom Dean (ouro) e Duncan Scott (prata). O último nadador brasileiro que havia vencido uma medalha em Jogos Olímpicos havia sido Cesar Cielo, bronze em Pequim, 2008, mas nos 100m livre. 

Mayra Aguiar | Bronze

Mayra Aguiar levou o bronze na categoria até 78kg após derrotar a sul-coreana Hyunji Yoon. Com o feito, ela tornou-se a primeira mulher a vencer três medalhas olímpicas pelo Brasil na história, uma vez que já havia realizado este feito (bronze) em Londres-2012 e no Rio de Janeiro-2016. 
 
Imagem das Medalhistas, Luisa Stefani e Laura Pigossi.

Luisa Stefani e Laura Pigossi | Bronze

Luisa Stefani e Laura Pigossi garantiram um feito inédito para o tênis e o esporte brasileiro. O bronze nas duplas femininas obtido por elas foi a primeira medalha do Brasil na modalidade na história dos Jogos Olímpicos. Para tal, a dupla derrotou as russas Elena Vesnina e Veronika Kudermetova por dois sets a um, de virada, pelas parciais de 4/6, 6/4 e 11/9. 
Imagem do Medalhista Bruno Fratus.

Bruno Fratus | Bronze

Bruno Fratus é bronze nos 50m livre! Após uma série de contratempos em sua carreira e uma decepção em 2016, nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, quando terminou em sexto nesta mesma prova, o nadador de 32 anos fez um tempo de 21s57 e terminou em terceiro, somente atrás do norte-americano Caeleb Dressel e do francês Florent Manaudou.  
Imagem do Medalhista Abner Texeira.

Abner Teixeira | Bronze

Mesmo sendo derrotado pelo cubano Julio La Cruz nas semifinais da categoria peso pesado (até 91 kg), Abner Teixeira garantiu o bronze para o Brasil. No boxe, tanto no masculino, quanto no feminino, não tem disputa pelo bronze, sendo os atletas derrotados nas semifinais automaticamente premiados. 
Imagem do Medalhista Alison dos Santos.

Alison dos Santos | Bronze

Alison dos Santos faturou o bronze na prova dos 400m com barreiras em uma disputa extremamente acirrada. O brasileiro fechou com o tempo de 46s72, somente atrás do norte-americano Rai Benjamin (prata) e o norueguês Karsten Warholm (ouro). Foi a primeira medalha do Brasil no atletismo nesta edição dos Jogos Olímpicos. 
Imagem do Medalhista Thiago Braz.

Thiago Braz | Bronze

Thiago Braz novamente é medalhista olímpico! Ele saltou 5,87m para obter a medalha de bronze no salto com vara masculino. O sueco Armand Duplantis foi o vencedor com a marca de 6,02m, seguido pelo norte-americano Christopher Nilsen, com 5,97m.  

Conexão Brasil & Japão

Veja as histórias que o craque Zico tem para contar sobre o Japão

 O “Galinho” conhece como poucos como funcionam as coisas no esporte no território japonês. Após fazer seu nome nos gramados brasileiros e europeus, o craque foi ao país asiático para ajudar a desenvolver o futebol por lá. Assista os episódios anteriores da série: 1º episódio - Zico chegando no Japão e 2º episódio - Zico 1 & Zico 2.

3º Episódio: Zico e os outros esportes

Últimos mascotes dos Jogos Olímpicos

Relembre os mascotes que animaram as torcidas antes de Miraitowa e Someity.

Rio de Janeiro 2016

Vinícius

Londres 2012

Wenlock

Pequim 2008

Bei, Jing, HuanHuan, Ying e Ni

Atenas 2004

Phevos e Athena

Perguntas frequentes

Onde assistir aos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 ao vivo?

No SporTV (canal 539 HD da Claro TV) e no BandSports (canal 575 HD da Claro TV). Para contratar o pacote de tv por assinatura ideal para você, clique aqui!

Quando será realizada a próxima edição dos Jogos Olímpicos?

Os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 vão acontecer de 23 de julho de 2021 até 8 de agosto de 2021, na cidade de Tóquio, no Japão. *exceção feita ao surfe

Confira todas as emoções dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 com a Claro TV!

Quantas modalidades serão praticadas nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020?

Entre esportes tradicionais e algumas novidades, serão 46 modalidades a serem disputadas em Tóquio-2020. Não perca seus esportes favoritos durante este megaevento mundial. Assine a Claro TV!

Quais esportes serão acrescentados aos Jogos Olímpicos a partir de Tóquio-2020?

Beisebol, skate, surfe, escalada e karatê são as modalidades que vão ser disputadas de forma inédita nos Jogos Olímpicos em Tóquio-2020. É uma forma de aproximar o evento do público jovem.

Estas e outras modalidades você assiste, ao vivo, na Claro TV!

 

Como vai funcionar a disputa do surfe nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020?

A modalidade acontecerá na praia de Shidashita, em Chiba, a cerca de 60 quilômetros de Tóquio. Ítalo Ferreira e Gabriel Medina devem estar em mar representando o Brasil e são considerados favoritos para subir ao pódio entre os homens.

As emoções do surfe nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 estarão na tela da Claro TV! Clique aqui e confira mais informações!

 

Como vai funcionar a disputa do skate nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020?

A modalidade será dividida entre as categorias Skate Street Masculino e Feminino, além de Skate Park Masculino e Feminino.

Para informações e bastidores dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, basta vir com a Claro TV!

 

Quantos títulos o Brasil tem no futebol em Jogos Olímpicos?

Apenas uma conquista de medalha de ouro foi celebrada até o momento no futebol masculino, e aconteceu nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. Já entre as mulheres, a seleção brasileira ainda busca o inédito título.

Não quer perder mais um capítulo do futebol brasileiro sendo escrito nos Jogos Olímpicos? Vem com a Claro TV e escolha o seu pacote ideal!