Revista Monet - Assine

Componente Carrossel

subtitulo do componente Carrossel

Revista Monet

Um superguia diário da programação, acesso a conteúdos exclusivos e muito mais.

O QUE ESPERAR DA EDIÇÃO DE MAIO DA MONET
 

Às vezes em Hollywood é preciso fazer muito com bem pouco. Prova disso são pequenos grandes filmes que abusam da criatividade para tornarem-se verdadeiros clássicos sem utilizarem orçamentos gigantescos. ‘Jojo Rabbit’, do diretor neozelandês Taika Waititi, é o novo membro dessa classe de produções que caem no gosto da crítica e do público com pouco dinheiro e elencos estelares atraídos por um projeto audacioso. O longa foi indicado em seis categorias do Oscar, sendo uma delas Melhor Atriz Coadjuvante, para Scarlett Johansson, e Melhor Roteiro Adaptada, da qual saiu vencedor. Na matéria de capa da MONET de maio falaremos desses adoráveis fenômenos do cinema.

 

E ainda: a tentativa de esclarecer um dos casos mais misteriosos ocorridos em Hollywood está em Natalie Wood: Aquilo que Persiste; Paradoxo da Democracia mostra como os protestos mudaram – nem sempre para melhor – a forma de se fazer política; O impacto da morte de grandes nomes da música na série musical The Day the Rock Star Died; Adoráveis Mulheres é o mais recente filme de época que aborda um tema bem atual – o feminismo – e faz reparações históricas; como ficam os eventos esportivos paralisados pela pandemia do coronavírus; e muito mais!

R$ 10,45 /mês

O que vem por aí

Imagem do programa Hip Hop Brasil.

HIP HOP BRAZIL

Dia 2, 22h30, MUSIC BOX BRAZIL

O confinamento é obrigatório. Para o corpo, mas não para o pensamento. Com os pés fincados em casa por conta da pandemia do novo coronavírus, Alex Pereira Barbosa, vulgo MV Bill, vai longe com suas ideias. O rapper falou com MONET sobre a nova temporada do programa, em que traz convidados dos quatro pilares do hip hop, mas também abre espaço para agitadores culturais, escritores, videomakers e beatmakers.

 
Imagem do ator Chris North da série Gone.

GONE

Dia 15, 21h, Fox Premium 1

O drama policial gira em torno de Kit ‘Kick’ Lannigan (Leven Rambin), que, 15 anos após ter sido resgatada de um sequestro, é chamada pelo agente do FBI Frank Novak (Chris Noth, velho conhecido de Sex and the City) para se unir a uma força-tarefa dedicada a solucionar casos de pessoas desaparecidas. Entre uma das investigações mais complicadas está a de três estudantes universitárias que somem depois de solicitarem um carro por aplicativo.

Imagem do documentário Apollo 11.

APOLLO 11

Dia 8, 18h25, Telecine Cult

Em 20 de julho de 1969, um de nós pisava pela primeira vez em terra firme (na verdade, um pouco fofa) fora do nosso planeta. A honra coube ao astronauta norte-americano Neil Armstrong, que, numa feliz escolha de palavras, eternizou: “Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”. Este documentário explora bastidores e cenas até então inéditas dos arquivos da Nasa da missão que levou a humanidade ao seu maior triunfo.

 
Imagem do filme Maria e João - O conta das bruxas.

MARIA E JOÃO: O CONTO DAS BRUXAS

Em maio, no NOW

A velha fábula sempre gerou adaptações no cinema. Aqui, o clima mais soturno proposto pelo diretor Oz Perkins (filho do eterno Anthony “Norman Bates” Perkins) é o que faz mais diferença. Coloca Sophia Lillis (figurinha carimbada do gênero, como a menina de It: A Coisa) como a protagonista que leva seu irmãozinho para uma volta no bosque mas se depara com perigos inimagináveis. E, desta vez, surpreendentes.

Mundo do Cinema e TV

Imagem do premiado filme Jojo Rabbit.

PEQUENOS GRANDES FILMES

 

JOJO RABBIT, em maio no NOW

 

Você há de convir que existe uma diferença enorme entre um filme com orçamento de US$ 180 milhões e outro de US$ 14 milhões. O diretor Taika Waititi também sabe muito bem disso, pois estas cifras foram as que ele teve disponíveis para produzir, respectivamente, Thor: Ragnarok e Jojo Rabbit, este último vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Adaptado, que fez muito barulho por ser uma crítica ao nazismo realizada de uma maneira totalmente inédita e que estreia este mês no NOW. Confira abaixo outros “pequenos notáveis”, filmes que superaram expectativas apesar do baixo custo:

 

Rocky: Um Lutador (1976) > Ao idealizar o filme, Sylvester Stallone tinha apenas US$ 106 no banco e vendeu seu cachorro por não ter dinheiro para alimentá-lo. Teve atendido seu pedido para ser o protagonista, mas os produtores não pagaram nenhum dólar a mais por seu trabalho como roteirista.

 

Platoon (1986) > Francis Ford Coppola fez Apocalipse Now com US$ 31,5 milhões, seis vezes mais do que Oliver Stone teve para contar seu drama da Guerra do Vietnã. O diretor ainda precisou recorrer ao auxílio do exército das Filipinas no empréstimo dos veículos militares usados em cena.

 

Juno (2007) > Respeitando o espírito independente da produção, Jennifer Garner abriu mão de seu salário – que na época era um dos maiores de Hollywood – por um percentual da bilheteria. A atriz se deu muito bem: devido ao sucesso de Juno, conquistou o maior salário de sua carreira.

 

Moonlight: Sob a Luz do Luar (2016) > Uma reunião com Brad Pitt ajudou o diretor Barry Jenkins a arrecadar o dinheiro necessário para a produção. Com apenas US$ 1,5 milhão, Moonlight é o vencedor do Oscar “mais barato” desde Rocky: Um Lutador (1976).

Imagem da série El Chapo - Vida Bandida

VIDA BANDIDA

 

EL CHAPO, Dia 12, 21h10, A&E

 

A série El Chapo chega para mostrar a trajetória de um dos maiores criminosos da história, que tomou para si o poder do tráfico de cocaína, impôs práticas violentas e populistas para se manter no poder, mas também “profissionalizou” o crime com estratégias que colocariam muito CEO no chinelo. Confira na MONET de maio um papo com o protagonista, o ator mexicano Marco de La O, e abaixo algumas produções que tem alguma coisa a ver com o criminoso (até a paixonite por uma atriz):

 

NARCOS: MÉXICO > A série mostra a ascensão de Miguel Ángel Félix Gallardo, conhecido como El Padrino, o primeiro grande narcotraficante mexicano e antecessor de El Chapo. A prisão de Gallardo pela morte de um agente americano é o ponto de partida para que Chapo funde o Cartel de Sinaloa. [Disponível na Netflix (para clientes 4k)]

 

MISS BALA > Filme inspirado na vida de Laura Zúñiga, modelo mexicana que, depois de vencer o título de Nuestra Belleza Sinaloa, passou a representar o país em concursos mundo afora. Foi presa junto com sete homens, milhares de dólares, dois rifles AR-15, três pistolas, 633 cartuchos e 16 celulares. [Disponível na Clarovideo]

 

LA REINA DEL SUR > A série sobre uma chefona do crime fez com que El Chapo ficasse obcecado pela atriz Kate del Castillo. O traficante criou uma brecha no esquema de segurança durante sua última fuga para se corresponder com a atriz, que intermediou seu encontro com Sean Penn. [Disponível na Netflix (para clientes 4k)]

MÃE [NÃO] É TUDO IGUAL

 

SIMPSONS – ESPECIAL DIA DAS MÃES, de 4 a 8, 19h, FOX

 

O mês em que celebramos as mulheres mais importantes do mundo (nem pense em discordar, se não quiser ficar de castigo) chegou. E fizemos uma homenagem àquelas mães que divertem – ou assustam – os aficionados por cinema e televisão há décadas. Os filmes e séries possuem exemplos de todos os tipos, nenhuma, claro, igual à sua (única e insubstituível), mas com certeza você vai conseguir se lembrar dela ao ver alguma das produções a seguir:

 

É DIA DE ROCK, BEBÊ > A relação entre uma mãe e seus filhos nem sempre é fácil e, muitas vezes, pode ser marcada por brigas e desentendimentos. Isso, no entanto, pode ser facilmente resolvido com um show de rock e uma troca de corpos com a filha, como em Sexta-Feira Muito Louca, que mostra a psicóloga Tess Coleman enfrentando a adolescência – e todos seus amores, dramas e sonhos – novamente após assumir a vida da sua rebelde filha adolescente, Anna, e vice-versa, por conta das palavras de um biscoito da sorte.

 

DIAS DE LUTA > Prontas para qualquer tipo de batalha, mães enfrentam um leão por dia para sustentar sua família e criar seus filhos. Erin Brockovich, interpretada nos cinemas por Julia Roberts, é a prova disso. Desempregada e mãe de três filhos, ela consegue um trabalho de assistente em um escritório de advocacia antes de entrar em uma grande batalha jurídica com uma das maiores empresas do mundo por conta de casos de contaminação de água.

 

LEOA > “Mãe é tudo igual, só muda de endereço”? Claro que não é assim. Mas sabemos que, não importa em qual lugar do mundo estejamos, sempre vamos encontrar uma mãe capaz de tudo para proteger seus filhos. Ma Reum mostra uma situação digna de páginas policiais de jornal – se não fosse um filme de comédia francês. Quando Fanny descobre que seu filho Arthur está sofrendo bullying de três garotos na escola, ela decide “se vingar” deles com algumas armadilhas e estratégias que nem parece que ela é a adulta da história.

PENSATAS DE LUZ

 

DIVALDO: O MENSAGEIRO DA PAZ, em maio no NOW

 

A jornada do médium Divaldo Franco para propagar ideais de caridade e compreender a influência da espiritualidade na vida terrena ganhou biografia vista por mais de 500 mil pessoas no cinema, e que estreia na TV no momento em que o mundo mais precisa da sua mensagem . A seguir, confira algumas frases retiradas de artigos de Divaldo Franco publicados no jornal A Tarde, na coluna Opinião:

 

 

“Ninguém pode viver consciente da sua realidade sem o amor”

 

“O mais precioso dom que existe é a existência humana”

 

“Nunca será demais uma atitude gentil, compreensiva e fraternal”

 

“A vida é indestrutível, alterando somente a forma pela qual se expressa”

 

“Fazer o bem é dever de todos”

 

“Uma sociedade que se olvida dos seus membros mais fracos não é digna de subsistir...”

 

“Seja você aquele que tem a coragem de voltar à gentileza e reumanizar-se, pois que ainda é tempo”